Halloween e concurso de fantasias na Escola JCB

O Halloween chegou na Escola Jockey Club Brasileiro, a professora de inglês, Elisanete de Paula, organizou uma festa, desfile e concurso de fantasias. No dia 01/11 os alunos do 6º ao 8º foram para a escola com fantasias de Halloween. 

Os alunos se divertiram com os desfiles, as brincadeiras e aproveitaram as mesas de comidas decoradas especialmente para o Dia das Bruxas. No concurso de fantasia, os julgadores foram todos os professores e também a equipe técnica pedagógica, depois de muita conversa, chegaram a 2 vencedores meninos e meninas.  

 
Vencedores:
Meninos:
Arthur Miguel França – 6º ano
Felipe Lima – 6º ano
 
Meninas:
Geovama Machado – 8º ano
Karen Renata – 8º ano
 

Confira as fotos do evento:

Saiba mais sobre a EJCB

A escola foi fundada em 27 de setembro de 1946 e atende, atualmente, aproximadamente 500 alunos por ano, matriculados entre o primeiro e o nono ano do Ensino Fundamental. São mais de sete décadas mantendo o ensino de qualidade, responsável pela formação escolar e cidadã das milhares de crianças que já passaram pela escola fundada e mantida integralmente pelo Jockey Club Brasileiro. O ensino é gratuito, inclui alimentação, assistência dentária e recebe filhos de funcionários, profissionais do turfe além de estudantes das comunidades que cercam o Jockey, como Rocinha, Vidigal e Parque da Cidade. A EJCB é considerada uma referência no ensino e uma das melhores no Rio de Janeiro. Estudo recente mostra que 70% dos alunos da Escola Jockey chegam à faculdade e se tornam profissionais bem-sucedidos.

Jockey celebra sete décadas da escola modelo gratuita

Clique aqui e confira matéria histórica da inauguração do prédio atual onde funciona a EJCB. A ocasião contou com a presença de chefes de Estado e representantes civis, militares e religiosos marcaram presença na ocasião – Dr. Mário de Azevedo Ribeiro, presidente do Jockey Club Brasileiro à época recebeu o então Presidente da República Café Filho, o Prefeito do Rio de Janeiro Alim Pedro, o Bispo auxiliar do Rio de Janeiro Dom José Távaro e demais convidados da alta sociedade. Os principais jornais da época do evento como Correio da Manhã, Diário da Noite, O Globo, Manchete e Diário Carioca deram destaque para a inauguração do prédio, considerado um padrão para demais escolas e para o governo do Rio de Janeiro.